Mamografia: Você já fez?


Para muitas mulheres a palavra mamografia vem acompanhada de muitas duvidas, e seja por reclamações relacionadas a dor, desconforto, vergonha ou criança, nem todas fazem esse acompanhamento tão importante de forma adequada. A verdade é que esse exame é de extrema importância para a mulher e comprovadamente pode salvar vidas. Nesse post apresentaremos o que é a mamografia, quando começar a fazer e algumas dicas para que o exame corra bem e de forma mais confortável. 

A mamografia e sua importância
A mamografia é um exame feito através de um aparelho de raio-X chamado mamógrafo. As imagens resultantes são de alta qualidade e servem para identificar se há ou não, lesões benignas e/ou malignas (câncer) que geralmente se apresentam sob a forma de nódulos ou calcificações. É importante salientar que a mamografia é também um exame preventivo/detectivo, auxiliando no diagnostico precoce do câncer de mama, assim, a mamografia feita regulamente pode diminuir significativamente o risco de morte por câncer de mama e aumentar a eficacia do tratamento.

 Quando devo começar a fazer?
É claro que cada caso é um caso e o acompanhamento de um ginecologista é de suma importância. Mas de forma geral, a primeira mamografia deve ser realizada aos 35 anos e a partir dos 40 anos deve ser feita anualmente. Porém, quando se há casos de câncer de mama na família, principalmente em parentes de primeiro grau, como mãe, irmã ou filha, o risco aumenta significativamente em relação a media normal da população, assim a mamografia pode ser iniciada na faixa dos 25 a 30 anos. Não é recomendado iniciar o exame antes dos 25 anos porque a mama é mais susceptível à radiação nessa faixa etária, neste caso, é indicado ultrassonografias.

Tipos de mamografia 
Convencional - Feita com um filme processado após exposição da mama ao raio-X. Este filme precisa de cuidados especiais no armazenamento, porque calor e umidade podem comprometer a imagem e o resultado final, o que leva a necessidade de um segundo exame.

Digital - Transforma o raio-X em sinal elétrico e transmite para um computador. 

 Os resultados de ambos são confiáveis de igual maneira, porém na mamografia digital os riscos de perder a imagem por danos externos são menores, além disso, o radiologista pode ajustar melhor a imagem para o que o médico precisar o que reduz o risco de repetir o exame.

Dicas
  • Evite agendar o exame antes ou depois da menstruação - Agende preferencialmente durante a segunda e terceira semanas do ciclo menstrual, pois nesse período há menor densidade do tecido glandular das mamas, tornando o exame mais detalhado e com menor desconforto. No período menstrual, as mamas normalmente ficam mais sensíveis, devido às alterações hormonais e o exame se torna mais desconfortável.
  • Posicionamento correto e confortável - Permita que o profissional te posicione corretamente, deixando o corpo relaxado e avise caso esteja se sentindo desconfortável. O posicionamento correto da mama é muito importante para obter-se um exame de boa qualidade. 
  • Comunique suas limitações - Qualquer limitação deve ser comunicada, como por exemplo, rigidez muscular, dificuldade para levantar os braços e outros problemas que poderão dificultar a posição correta no aparelho. Uma vez que o posicionamento e conforto da paciente são fundamentais para o sucesso do exame. 
  • Leve os exames anteriores - Caso tenha mamografia ou outro exame de mama realizados anteriormente, leve os resultados. Muitas vezes, devido à apresentação muito sutil de um câncer, o único modo de se detectar uma alteração é a comparação dos exames anteriores. 
  • Implantes - Mulheres que têm implantes mamários farão um maior número de incidências mamográficas, geralmente quatro em cada mama (ao invés de duas como na paciente sem implante). Duas delas devem incluir o tecido mamário e o implante, as outras incidências servem para analisar melhor o tecido mamário. Nestas, o implante será descolado em direção ao tórax, de forma a pegar o máximo de tecido mamário somente para ser comprimido.
  • Duração do exame - Cada incidência mamográfica dura apenas alguns segundos. 
  • Grávidas - As grávidas podem fazer mamografia desde que haja indicação medica, uma vez que o câncer de mama também poderá aparecer durante a gravidez. Neste caso, é utilizado um protetor de chumbo no abdômen para proteger o feto.
Em suma e diante do exposto, cuide-se e não deixe de fazer o acompanhamento de maneira correta e regular!

Topo